Carloto o adivinho

Carloto o adivinho - Contos Infantis

O meu amigo Carloto, antes de sair de casa para dar uma voltinha de bicicleta, avisou a mãe:

– Hoje vou cair da bicicleta e esfolar um joelho.

A mãe foi logo buscar a caixa dos primeiros socorros, para estar tudo à mão, quando o Carloto regressasse da queda. Não seria acidente grave. Nem, muito menos, o primeiro.

É que, de facto, o Carloto adivinha as coisas, mas só coisas que o tivessem como protagonista, isto é, como centro da referida coisa, não sei se me estou a fazer entender… Que coisa!

Às vezes, dizia a mãe:

– Hoje, vou chegar todo encharcado a casa. A mãe ainda acudia:

– Então, leva um chapéu-de-chuva, filho. Ele explicava:

– Se levo chapéu-de-chuva, já não chove e a chuva também faz falta…

Coisa complicada.

Só adivinha o pior, dentro do relativo, que não era assim tão mau como isso.

– Hoje vou perder o boné, na escola.

– Hoje vou rasgar as calças, numas moitas.

– Hoje vou partir os óculos, no futebol.

Não valia a pena prevenir. Estava previsto e acontecia, i-ne-vi-ta-vel-men-te. O Carloto, conformado com o seu pequeno poder da adivinhação, resignava-se a que seria assim pela vida fora. A mãe dele também encolhia os ombros, sem se inquietar muito, e suspirava:

– O que eu quero é que o meu filho nunca adivinhe grandes desastres.

Mas, desta vez, alarmou-se. Uma vizinha veio dizer-lhe:

– O seu Carloto caiu da bicicleta, bateu com a cabeça no passeio e foi de ambulância para o hospital.

A mãe do Carloto atirou-se para dentro de um táxi com a vizinha e, numa ansiedade, que lhe cortava a respiração, foi ao hospital saber do seu mais-que-tudo na vida.

O médico tranquilizou-a:

– O seu filho, felizmente, não chegou a sofrer traumatismo craniano. Quando ele andar de bicicleta, recomende-lhe que use capacete.

– E não está ferido, senhor doutor?

– Nada de grave. Só esfolou um joelho – respondeu o médico, com um sorriso simpático.

A mãe foi ver o Carloto, deitado numa cama e ainda um tanto abalado. Não se lembrava de nada, nem sequer de que tinha adivinhado o acidente. Ou parte: o joelho esfolado.

Aliás, desde esse dia, fosse do que fosse, talvez da pancada, o Carloto já não conseguia prever nem sequer uma unha partida. Perdera os seus poderes especiais.

Uma coisa destas é que o Carloto nunca podia adivinhar.

António Torrado

Ilustrações: Cristina Malaquias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.