A bolsa ou a vida

A bolsa ou a vida - Histórias de encantarOs habitantes de Yong Zhou tinham fama de ser excelentes nadadores. Um dia, deslocando-se um grupo numa frágil barcaça, a corrente do rio fê-los virarem-se e todos caíram à água, nadando com destreza em direção à margem.

Um deles, porém, começou a ficar para trás, mostrando ter dificuldade em nadar. Então, um dos companheiros gritou-lhe da margem:

— O que se passa contigo? Se és de todos nós o melhor nadador, porque estás a ficar para trás?

Com dificuldade, já com a boca a encher-se de água, ele gritou:

— É por causa dos sacos de moedas que levo à cintura. Então o companheiro gritou-lhe da margem:

— Larga os sacos e nada para a margem.

Ele respondeu que não com a cabeça, afogando-se de imediato com o seu pecúlio à cintura.

Foi então que um terceiro elemento do grupo comentou:

— Mais vale pobre do que afogado.

O corpo do afogado nunca chegou a aparecer, apesar de ele ser um excelente nadador, dos melhores que havia em Yong Zhou.

J.J. Letria

Contos da China antiga

Porto, Ambar, 2002

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.